Ressonância magnética no exame do cérebro psicopata

0

Um novo estudo sugere que a interrupção da regulação pré-frontal do circuito córtico-estriado impulsiona a tomada de decisões disfuncionais, comuns em psicopatas.

Pesquisadores da Universidade de Harvard (EUA), do Hospital Geral de Massachusetts (EUA), da Universidade de Wisconsin (EUA) e outras instituições, escanearam os cérebros de 49 presos em duas prisões de segurança média, quando eles participaram de um teste de gratificação atrasada, que lhes pediu para escolher entre receber uma pequena quantidade de dinheiro imediatamente ou um montante maior em um momento posterior. Os resultados foram então ajustados para um modelo que mostrou não só como era a forma impulsiva da conduta de cada participante, mas também identificou as regiões do cérebro que desempenham um papel na avaliação do valor relativo de cada escolha.

Os resultados revelaram que a psicopatia se associa com uma maior atividade subjetiva, relacionada com o valor dentro do Núcleo Accumbens (NAcc), durante a escolha intertemporal e com uma conectividade funcional intrínseca, fraca, entre NAcc e o córtex pré-frontal ventromedial. Os pesquisadores sugerem que esta regulação afetada do córtico-estriado  impulsiona a tomada de decisões erradas na psicopatia (como indicado pelas condenações penais mais frequentes) e poderia indicar um importante fator de risco neurobiológico. O estudo foi publicado em julho, na revista Neuron.

“Descobrimos que as conexões entre o estriado e córtex pré-frontal ventromedial eram muito mais fracas em pessoas com psicopatia”, disse o professor Josh Buckholtz, PhD, da Universidade de Harvard e MGH. “Quanto mais psicopata é uma pessoa, maior a magnitude dessa resposta estriada. Isso sugere que a forma em que calculam as recompensas está mal regulada, já que podem representar, em excesso, o valor da recompensa imediata “.

“Eles não extraterrestres, são pessoas que tomam más decisões. O mesmo tipo de decisões rápidas e impulsivas que vemos em indivíduos psicopatas também tem sido observado em usuários e viciados em drogas pesadas “, concluiu o Dr. Buckholtz. “Se pudermos colocar isso de volta para o domínio da análise científica rigorosa, podemos ver que os psicopatas são humanos que têm um tipo particular de defeito na fiação do cérebro.”

O estriado atribui valores para diferentes ações sem muito contexto temporal. É responsabilidade do córtex pré-frontal fazer juízos sobre como uma ação irá afetar o futuro. A crescente evidência sugere que o córtex pré-frontal utiliza o resultado deste processo mental para mudar a força com que o estriado responde às recompensas. Quando essa influência moduladora pré-frontal enfraquece, o valor da opção mais imediata pode ser representada de maneira exagerada, de forma dramática. (com informações do Medimaging)

Compartilhar

Deixe seu comentário